Lana Del Lovers
Baroque Pop Anthology - Lana Del Rey

‘Baroque Pop’, livro inspirado em Lana Del Rey, será lançado

Recentemente, foi anunciado através do Kickstarter, site de financiamento coletivo que busca apoiar projetos inovadores, a coleção de histórias em quadrinhos Baroque Pop, que traz ilustrações e pequenos textos inspirados em Lana Del Rey e será lançada pela Red Stylo Press, uma empresa de edições e promoções. Leia abaixo as informações:

Baroque Pop é uma coleção em quadrinhos cômicos de 80 páginas produzida por Mario Candelaria e está sendo lançada pela Red Stylo Press. Inspirada pela música de Lana Del Rey, a seleção cuidadosa se transforma em quadrinhos curtos e ilustrações comemorando amor, perda, sucesso e mudança por criadores de quadrinhos que se uniram depois de encontrar consolo mútuo e inspiração na música de Lana Del Rey.

Baroque Pop é tanto uma homenagem a Lana, bem como um testamento para imagem e simbolismo que esta musa moderna extrai de artistas e escritores. Suas melodias invocam uma sensação de saudade, admiração e esperança sem fim. Misturada com faixas instrumentais que se sentem cinematográficas em seu escopo, suas melodias praticamente convidam a imaginação a executar pinturas exóticas com as emoções lançadas em cada barra, em cada gancho, até que cada álbum se assemelhe a um mosaico refletindo nossos desejos e segredos mais profundos com cada escuta subsequente.

Em sintonia com o tema da música, o próprio livro será impresso em 7×7 polegadas para fisicamente se assemelhar a uma capa de um disco de vinil.

Uma vez que a produção da coleção está perto de ser encerrada, esta campanha é para ajudar a financiar uma impressão modesta para que possamos começar a enviar os livros imediatamente.

O livro apresenta sete histórias curtas por:

  • Chuck Harrison e Luke Marrone;
  • Daniel Charles e Ashley St. Lawrence (com Scott Ewen);
  • Jennie Wood e Chris Goodwin;
  • Enrica Jang e Jan Velazquez;
  • Mario Candelaria e Katarzyna Witerscheim;
  • Michael Lynch e Mira Mortal;
  • Eric Palicki e Daniel Earls.

E cinco retratos por:

  • Jim Towe;
  • Adam Ferris e Lesley Atlansky;
  • John Keaveney;
  • Hoyt Silva;
  • Fabian Lelay (feat Lesley Atlansky).

Estamos chegando ao Kickstarter porque este é um pequeno projeto apaixonado que foi montado inteiramente por fãs da Lana. Embora tenhamos grandes esperanças, histórias em quadrinhos ainda seguem em um mercado onde muitos editores tradicionais não tem oportunidades, a menos que haja grandes recompensas para eles. Este é um livro de fãs para fãs e nós soubemos disso desde a concepção do projeto.

Um nível de detalhe meticulosamente grande passou a projetar este livro. Desde o início, nos propusemos distinguir de outras histórias. Da forma de 7×7 polegadas do livro para o papel de qualidade superior para a folha de ouro perfeita na capa, tudo foi projetado para colocar qualidade sobre quantidade.

Uma vez que o livro já estiver concluído, ele ainda será lançado se não alcançarmos o nosso objetivo, mas ele permanecerá em formato digital até que o coletivo possa levantar fundos para produzir uma impressão em série — e dada esta época de pirataria, provavelmente demoraria um pouco. Este é um projeto apaixonado e precisa de apoio de gente apaixonada.

A coleção já foi produzida e está pronta para a fase de impressão. Já contratamos a Kraken Print de Chicago, Illinois (bem como um parceiro internacional para impressão e realização internacional) para a tarefa.

Mas como qualquer outra coisa na via, qualquer evento inesperado pode acontecer, o que pode levar a atrasos. Caso isso aconteça, vamos atualizar os patrocinadores e fazer o nosso melhor para que tudo volte aos trilhos.

Confira as imagens na galeria abaixo:

Tradução por Gabriela dos Santos. – Equipe Lana Del Lovers.
Informações por Kickstarter.

  • Reader

    Uau. Achei bacana. A Lana é muito inspiradora mesmo… Só fiquei aqui me perguntando se isso chegou aos ouvidos dela e se ela concorda com a publicação, ou se ela não se sente meio “plagiada”.

    • Tawan Pessoa

      Querido leitor, não vejo o porque da nossa Elizabeth se sentir plagiada, pois ter um livro inspirado em você é honroso. Ela deve estar orgulhosa, e não ofendida.