Lana Del Lovers
Tom March e Ben Mortimer da 'Polydor'.

Copresidentes da ‘Polydor’ falam sobre Lana Del Rey em entrevista ao ‘Music Week’

Em entrevista concedida ao site Music Week, Ben Mortimer e Tom March, copresidentes da gravadora Polydor, falaram brevemente sobre Lana Del Rey e seu novo álbum. Leia abaixo a tradução do trecho da entrevista:

Semana passada, Lana Del Rey alcançou o 1º lugar nos charts do Reino Unido com seu quinto álbum, Lust For Life. Isso marca não apenas mais um vitória de Del Rey, como também um novo triunfo da Polydor, tendo na metade de 2017 sucessos de Elbow, Pete Tong, HAIM, a trilha sonora do premiado longa-metragem La La Land, Take That e Kendrick Lamar. Tudo isso sem citar seu sucesso com a faixa Despacito de Luis Fonsi.

Até agora, esses são todos parte de um trabalho maior que os copresidentes da Polydor, Tom March e Ben Mortimer, estão realizando esse ano. Nós da Music Week nos encontramos com March e Mortimer para dissertar sobre a divulgação de Lana e relembrar o sucesso da Polydor em 2017 até agora…

Conte-nos mais sobre a campanha promocional de Lana até agora. O que se destacou para vocês?

Tom March: É definitivamente o álbum mais bem avaliado de sua carreira — eu acho que ela está em um ótimo momento. Todas as avaliações foram entre 4 e 5 estrelas — foi realmente bem recebido pela mídia e pelos críticos. Culturalmente, ela está no caminho certo com os convidados do álbum. Playboi Carti é considerado o rapper que mais emerge atualmente nos EUA, e obviamente ela tinha uma relação de longa data com o A$AP Rocky e The Weeknd — nenhum deles foi forçado a nada. O que me tocou bastante foi ela ter feito seu primeiro show em Londres em 4 anos semana passada, lembrou a todos o quão especial e admirada ela é. Foi um show de última hora, mas a reação dos fãs, a plateia e as reações tornaram essa uma noite muito especial. Ela é a artista dos artistas. Eu estava lá, olhei em volta e vi Dan Smith, do Bastille, Florence And The Machine, Hannah Reid, da London Grammar, Twigs e Professor’s Green. É um bom indício. Eu acho que ela está em seu melhor momento durante muito tempo e isso deve continuar.

Ben Mortimer: Desde o início, sabíamos que tínhamos um ótimo álbum. Nas primeiras faixas criadas pudemos notar que ela estava em um ótimo momento criativamente. A reação da plateia na O2 Academy Brixton… você conseguia sentir todo o amor e admiração dos fãs. Nós estamos muito orgulhosos que ela alcançou o primeiro lugar nos charts. Foi um lindo trabalho de equipe dentro e fora da Polydor.

Em comparação a outros artistas, como é trabalhar com Lana?

Tom March: Ela é tão criativa e não se importa com as coisas sem sentido em volta disso; ela se importa com sua arte e insiste nela. Ela tem esse mistério — ela meio que se afasta de Hollywood para disseminar sua música para as massas e depois volta novamente. Ela faz tudo em seus próprios termos. Faz os álbuns que quer fazer, como quer fazê-los. Eu acho que isso a conecta com seus fãs — eles sabem que é genuinamente dela. Ela não está preocupada em fazer álbuns que funcionem de certo modo, ela faz exatamente o que quer fazer. É o mesmo com a forma que ela promove seus álbuns.

Você tem que trabalhar de um jeito não convencional porque você sabe que ela não quer fazer performances na TV, filmar entrevistas ou coisas que você normalmente realiza com outros artistas. Você tem que descobrir jeitos de fazer as coisas de uma maneira diferente. Nós viemos lançando músicas há seis meses nessa divulgação.

Love foi uma faixa que relembrou a todos o quão fenomenal ela é — foi um retorno poderoso. Ela estava decidida que essa deveria ser a primeira faixa divulgada e seguiu adiante com isso. Novamente, suas produções audiovisuais são espetaculares. Como eu tinha dito antes, você não pode tentar enquadrá-la em coisas convencionais como estar na TV e filmar entrevistas, pois essa não é a maneira que ela quer divulgar o álbum. Mas seus trabalhos audiovisuais são sempre tão incríveis, esse é um dos elementos cruciais. Não apenas seus vídeos, mas como ela é nas redes sociais — no Instagram. Existe uma brilhante matéria no The Fader que fala sobre como ela trabalha com o Instagram, e como ela se conecta com seus fãs nas redes sociais melhor do que qualquer um. O conteúdo que ela cria, os trailers para o álbum que ela cria, o mundo que ela cria em torno disso — as pessoas se apegam em cada palavra.

Ela é uma artista moderna nesse sentido, ela abraça o mundo moderno perfeitamente bem enquanto ainda se encontra como uma artista clássica. A TAP Management, uma excelente agência gestora, está criando maravilhas com artistas atualmente. Eu sinto que eles deveriam se sentir lisonjeados por estarem fazendo um trabalho brilhante com Dua Lipa, Lana e outros. Eles são uma brilhante, jovem e dinâmica companhia para se trabalhar.

Tradução por Carolina Nunes. – Equipe Lana Del Lovers.
Entrevista original por George Garner ao Music Week.