Lana Del Lovers
Ed Millett, Lana Del Rey e Ben Mawson no 'Artist & Manager Awards' em Londres, Inglaterra, em 14 de novembro de 2017.

Empresários de Lana Del Rey falam sobre a cantora em entrevista ao ‘Music Business Worldwide’

Em entrevista concedida ao site Music Business Worldwide, os empresários Ben Mawson e Ed Millett, responsáveis por gerenciar a carreira de Lana Del Rey, falaram brevemente sobre cantora, além de revelar que a mesma está trabalhando em seu próximo álbum. Leia abaixo a tradução de trechos da entrevista:

Vocês têm escritórios ao redor do mundo — como isso afeta o que vocês oferecem aos artistas de forma independente?

Ed: Sempre tivemos um olho na natureza global da música e não queremos ser uma “empresa do Reino Unido”. Agora, mais do que nunca, é tão importante começar a trabalhar na América ao mesmo tempo que todos os outros locais, pois ela gera todos os seus números do Spotify.

Recebemos muito apoio através da nossa equipe na Austrália, onde temos um escritório criado pelo empresário da banda Angus & Julia Stone, que era um promoter. Também assinamos muitas coisas diretamente na Alemanha, porque é um ótimo mercado, eles podem levar o material para o rádio e fazer com que ele funcione, e não precisa esperar que o Reino Unido conduza as coisas.

Isso funcionou para Dua Lipa, para Lana Del Rey e para Grace Carter, que assinou diretamente com a Sony de lá e assinou com a Universal Music em outros lugares.

Ben: Lana conseguiu seu contrato de gravação na Alemanha primeiro — é um mercado tão grande. Você pode ter uma carreira apenas na Alemanha e ser muito bem sucedido. Todo mundo costumava ser obcecado com a playlist da BBC Radio 1, mas sempre tentamos ser o mais global possível e enfatizar todos os territórios importantes.

Durante o discurso de Lana Del Rey no Artist & Manager Awards em Londres, Inglaterra, no ano passado, ela elogiou vocês por terem compartilhado princípios e aprovarem ao movimento #MeToo. Como empresários de duas das principais artistas femininas, você tem conversas sobre sexismo e igualdade e as vincula a decisões de marketing?

Ed: A maneira como cuidamos dos artistas é uma parceria e o objetivo é capacitar alguém, aperfeiçoá-lo e ajudá-lo a melhorar ainda mais. Tudo o que eles fazem é vindo deles. Nós nunca colocamos Dua ou Lana em uma posição onde dissemos para elas “Você precisa ser sexy”.

Ben: Nós cuidamos delas, mas elas são mulheres fortes e com força de vontade. Dua não deixa ninguém sexualizá-la. Lana posou nua para a GQ e houveram protestos de outras pessoas que diziam que, de certa maneira, estava sendo humilhante, mas ela estava tipo “eu estou rindo!” Lana é uma mulher muito forte — ela não deixa ninguém pisar nela, e com Dua é a mesma coisa. Elas estão totalmente no comando.

Quais são suas ambições para TAP Management e os artistas que vocês procuram?

Ed: Nós queremos trabalhar com mais e mais artistas. Não estamos realmente preparados para fazer pequenas coisas independentes, nós queremos sucesso global com todo mundo, mas não temos o objetivo de se tornar uma companhia corporativa grande — será sempre como uma boutique.

Ben: Lana vai continuar lançando música. Ela tem outro álbum em andamento e sua base de fãs é fanática como sempre. Para Dua, o céu é o limite; ela quer terminar performando nos estádios.

Ed: Dermot Kennedy é um outro artista que estamos lançando e que é tão excepcional e único — toda vez que colocamos qualquer coisa à venda, ela é vendida. Acabamos de esgotar três shows na Austrália em poucos dias e ele nunca fez nada por lá, tudo é baseado no Spotify.

Tradução por Maria KlossThiago Goedert — Equipe Lana Del Lovers.
Entrevista original por Rhian Jones ao Music Business Worldwide.