Lana Del Lovers
Lana Del Rey - Love (2017)

i-D: O guia definitivo das referências de Lana Del Rey

Em um artigo publicado nesta última terça-feira (31), Taylor Ghrist, do site da revista britânica i-D, criou um guia com várias referências utilizadas por Lana Del Rey em suas músicas. Leia abaixo a tradução do artigo:

Contra todas as probabilidades, a enigmática Lana Del Rey conquistou críticos importantes e fãs eufóricos, incorporando referências vintages, figuras californianas e despejando um lirismo marcante em seu trabalho ao longo de toda sua carreira. Enquanto a maioria sabe que Del Rey inspira-se em clássicos do cinema e eventos marcantes do mundo do rock, alguns ainda acham que é somente no sol californiano e na opulência decadente.

Del Rey é uma aluna instruída, que tem um apetite sedento por plantar easter eggs em todo o seu repertório. Pelo amor de Deus, ela fez uma tatuagem que diz Nabokov Whitman. Aqui está um guia completo com as mais significativas, se não sutis, referências que ela incorporou a sua obra. Afinal, a vida imita a arte.

Nota: Embora isso sirva de base para o lirismo referencial de Lana, nem todas as referências estão incluídas, como as presentes em seus trabalhos anteriores sob os nomes de Lizzy Grant, May Jailer, Lana Rey Del Mar e Sparkle Jump Rope Queen. Muitos de seus videoclipes antigos intercalam imagens que ainda permanecem consistentes ao longo de sua carreira. Del Rey é uma maestrina de fantasmas do passado que perduram subconscientemente através do que lemos, vimos e ouvimos.

“Take a walk on the wild side….” (Born To Die) — Walk on the Wild Side, de Lou Reed.

“Light of my life, fire of my loins” (Off To The Races) — Essa é a abertura de Lolita, trabalho mais notório de Vladimir Nabokov, que é outra faixa de mesmo título produzida por Lana.

“Like to watch me in the glass room, bathroom, Chateau Marmont…” (Off To The Races) — O Chateau Marmont é uma fixação de Del Rey. Ela se apresentou no notório hotel de Los Angeles, palco de vários escândalos de Hollywood, mortes e um passado selvagem. As imagens da atriz Paz de la Huerta cambaleando embriagada do lado de fora da entrada do Chateau Marmont foram utilizadas no videoclipe de Video Games.

“One for the money, two for the show” (Million Dollar Man) — Blue Suede Shoes, de Elvis Presley.

“Elvis is my Daddy, Marilyn’s my mother, Jesus is my bestest friend” (Body Electric) — Os três ícones também são retratados em seu curta-metragem Tropico. Elvis apareceu várias vezes em suas composições, incluindo em uma faixa de mesmo nome. Ela já fez referência à Marilyn Monroe na unreleased Children Of The Bad Revolution.

“Whitman is my daddy” (Body Electric) — Lana está se referindo ao poeta Walt Whitman.

“Drop it like it’s hot in the pale moonlight” (Body Electric) — O trecho “drop it like it’s hot” também aparece nas faixas Ghetto Baby, Go Go Dancer e Midnight Dancer Girlfriend de seus dias de Lizzy Grant. Drop It Like It’s Hot é uma faixa produzida por Snoop Dogg e Pharrell Williams.

“I’m on fire baby” (Summertime Sadness) — I’m On Fire, composta por Bruce Springsteen, é sobre a afeição lasciva de um homem por uma mulher que o dá suores noturnos. Esse trecho também aparece nas canções de Lana Body Electric, Baby Blue Love e Sad Girl.

“Relying on the kindness of strangers” (Carmen) — A Streetcar Named Desire (Um Bonde Chamado Desejo, título em português), de Tennessee Williams.

“Drinking cherry schnapps in the velvet night” (This Is What Makes Us Girls) — “Noite de veludo” aparece em Lolita, e é mencionada durante o início da jornada de Humbert com a personagem que dá título ao clássico.

“Life imitates art” (Gods And Monsters) — A Decadência da Mentira, de Oscar Wilde.

“My my my, oh hell yes, honey put on that party dress” (American) — Mary Jane’s Last Dance, de Tom Petty And The Heartbreakers.

“Harvey’s in the Sky with diamonds and he’s making me crazy” (Cola) — Lucy In The Sky With Diamonds, dos The Beatles. Embora esta seja altamente discutível, desde que especulações apareceram depois das acusações de Harvey Weinstein, pode também correlacionar com o filme de James Stewart Meu Amigo Harvey, baseado numa peça sobre um alcoólatra que desenvolve uma afinidade por um coelhinho gigante de 1,80m de altura.

“I’ve got a burning desire for you baby” (Burning Desire) — O trecho tem um duplo sentido, uma marca registrada de Lana. Um desejo ardente que comumente refere-se aos Alcoólicos Anônimos como uma ânsia para voltar a beber. Enquanto o sensual trecho pode ser lascivo, também pode ser interpretado como uma tentação sombria.

“He hit me and it felt like a kiss” (Ultraviolence) — He Hit Me (And It Felt Like A Kiss), das The Crystals.

“He’s got the fire and he walks with it” (Sad Girl) — Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer. I’m On Fire, Bruce Springsteen. Esse trecho é uma adição brilhante para sua referência à Bruce Springsteen, adicionando um toque “Lynchiano”. David Lynch tem sido uma fonte de inspiração para as obras de Lana, como pode ser visto no seu cover (e videoclipe) de Blue Velvet.

“And my boyfriend’s in a band, he plays guitar while I sing Lou Reed…” (Brooklyn Baby) — Estava tudo certo para Lou Reed colaborar com Lana Del Rey na música Brooklyn Baby. Quando ela chegou em Nova Iorque a caminho para gravar com ele naquele mesmo dia, ela foi notificada que ele tinha falecido dois minutos depois de aterrissar.

“You’ve got the music in you, don’t you” (West Coast) — You Give What You Give, da banda New Radicals.

“Ground control to Major Tom…” (Terrence Loves You) — Space Oddity, de David Bowie.

“You’re my religion” (Religion) — Catherine em Adeus Às Armas de Ernest Hemingway. No romance de Hemingway, a personagem principal, Catherine, tem um devoto e obsessivo amor por Frederic que algumas estudiosas literárias do passado criticaram. A crítica Judith Fetterley uma vez alegou que o conto de Hemingway era misógino e sexista, dizendo que Hemingway mostra que “a única mulher boa é a morta.” No entanto, a crítica literária Millicent Bell identificou a personagem de Catherine como “um tipo de mulher inflável disponível somente para o sonhador onanista”.

“Got you where I want you, I got, I got you where I want you now…” (The Blackest Day) — Got Where I Want You, do grupo The Flys. Uma música que foi promovida na trilha sonora do filme dos anos 90 Comportamento Suspeito. Del Rey tem um jeito para cinema, então não seria inesperado se ela tiver escrito esse verso em referência ao filme juvenil rebelde dos anos 90.

“Drink it like tequila sunrise” (God Knows I Tried) — Tequila Sunrise, da banda Eagles.

“We’re the masters of our own fate, we’re the captains of our own souls” (Lust For Life) — Invictus, poema de William Ernest Henley.

“My boyfriend’s back and he’s cooler than ever” (Lust For Life) — My Boyfriend’s Back, do grupo The Angels.

“They say only the good die young” (Lust For Life) — Only The Good Die Young, de Billy Joel.

“Blue skies forever” (Lust For Life) — Blue Skies Forever, de Frankie Miller.

Além do álbum e faixa-título fazerem referência ao álbum de Iggy Pop de 1977, a canção e videoclipe se referem a um conto sombrio de uma jovem tragédia hollywoodiana que aconteceu no ano de 1932. Atriz Peg Entwistle, que havia planejado estrelar em Thirteen Women do diretor David Oliver Selznick, foi cortada da edição final do filme. Ela então tirou sua vida pelas próprias mãos, escalando o H de 9,0 metros de altura do letreiro de Hollywood e pulando dele. No videoclipe da canção, Del Rey é vista subindo uma escada e deslizando do letreiro monumental.

“Don’t worry baby” (Love) — Don’t Worry Baby, da banda The Beach Boys.

“I’d trade it all for a stairway to heaven…” (Coachella – Woodstock In My Mind) — Stairway To Heaven, da banda Led Zeppelin.

“I fall to pieces when I’m with you…” (Cherry) — Fall To Pieces, de Patsy Cline.

“My cherries and wine, rosemary and thyme…” (Cherry) — “Strawberries, cherries and an angels kiss in spring, my summer wine is really made of all these things” — Summer Wine, de Nancy Sinatra. Del Rey também fez um cover dessa música.

“Parsley, sage, rosemary and thyme” (Cherry) — Simon & Garfunkel. Lana cantou Scarborough Fair durante sua turnê do álbum Lust For Life.

“Lay, lady, lay on that side of paradise in the tropic of cancer…” (Tomorrow Never Came) — Lay, Lady, Lay, de Bob Dylan, Este Lado do Paraíso, de F. Scott Fitzgerald, e Trópico de Câncer, de Henry Miller.

“Cause if I had my way, you would always stay and be my tiny dancer” (Tomorrow Never Came) — Tiny Dancer, de Elton John.

“You said to meet me up there tomorrow but tomorrow never came” (Tomorrow Never Came) — Sean Lennon participa nessa música; Tomorrow Never Knows é uma música dos The Beatles de 1966.

“I wanna move out of the black into the blue” (Get Free) — Out Of The Blue, de Neil Young.

“I’m smoking while I’m running on my treadmill but I’m coming up roses” (In My Feelings) — Coming Up Roses, de Elliott Smith.

Conteúdo bônus:

National Anthem — O videoclipe para National Anthem conta com A$AP Rocky e Del Rey interpretando um casal similar a JFK e Jacqueline Kennedy Onassis. Eles brincam com seus filhos na orla de uma McMansion, Del Rey fuma numa mesa de jantar, alisa o peito de Rocky num veleiro e aparece ao lado de seu homem durante uma reencenação do assassinato de 1963. Em uma entrevista à MTV, o diretor Anthony Mandler disse: “Há uma espécie de micro-comentário de ‘Essa é a nova realeza’, sabe, A$AP e Lana, tentando escolher duas pessoas para talvez representar a nova geração de algo. Eu acho que mesmo com um presidente afro-americano, ainda é controverso vê-lo sentado e interpretando JFK, é ainda um tabu, mesmo quando não deveria ser. Você fica tipo ‘Isso é certo ou errado? Isso parece muito certo mas também muito errado ao mesmo tempo.’ E eu penso em todas as músicas de Lana, e sua imagem no geral, e a pessoa que ela é, tudo se encaixa. É como se houvessem dois lados de um espelho, e você não sabe para qual lado você está olhando.”

Tropico — Lana Del Rey fez um filme em formato de videoclipe intitulado Tropico e que estreou no Arclight em Hollywood, não muito longe da Sunset e Vine (da qual ela faz referência em Old Money do álbum Ultraviolence).

No curta-metragem, ela recita o poema Uivo de Allen Ginsberg durante uma cena cheia de homens de negócios pervertidos entretidos por strippers sensuais. “Eu vi as melhores cabeças da minha geração destruídas pela loucura / famélicos histéricos nus, arrastando-se pelas ruas do bairro negro ao amanhecer na fissura de um pico…”.

Ginsberg uma vez disse que a primeira parte de Uivo é “um lamento para o cordeiro da América com exemplos de notórios jovens com traços de cordeiro”. Em Tropico, durante a sequência do Jardim do Éden para Body Electric, da qual Lana está vestida como Eva ao lado do modelo Shaun Ross interpretando Adão, ela é vista brincando com um cordeirinho.

Há também imitadores de Elvis, Marilyn Monroe, John Wayne e Jesus no projeto.

Black Beauty — Beleza Negra é um romance de 1877, escrito durante os últimos anos de vida da autora Anna Sewell. A canção Black Beauty é sobre um homem que não reconhece como a vida é maravilhosa e bela. Os tema do romance de 1877 tocam em humanidade e no que diz respeito a compaixão, respeito e amor gentil.

13 Beaches — 13 Beaches de Del Rey abre com um diálogo de um filme de terror de 1962, O Parque Macabro. O filme conta a história de uma mulher experienciando grandes delírios e perturbações seguidos de um acidente de carro. Ela se muda para uma cidade nova e se sente atraída por um parque abandonado enquanto é observada por um homem macabro espreitando nas sombras.

A intro de 13 Beaches abre com um trecho do diálogo que a atriz principal recita: “Eu não pertenço a esse mundo, é isso. Algo me separa das outras pessoas. Para onde me viro, há algo bloqueando minha saída.”

A faixa explora a busca de Del Rey por privacidade entre paparazzi. Em uma entrevista à Paris Match, ela disse: “Eu escrevi uma música chamada ’13 Beaches’ que fala sobre como eu faço isso. No último verão, tive que ir a 13 praias diferentes antes de encontrar uma sem paparazzi, onde eu deitei com um livro. Mas nós podemos nos acostumar com qualquer coisa. E talvez valha a pena.”

Rainha de Coney Island — Nascida e criada em Nova Iorque, Del Rey se refere a Coney Island como um “lugar importante para ela durante sua carreira”. Carmen, outra música do álbum Born To Die, é na verdade sobre “uma mulher condenada que vende seu corpo nas ruas de Coney Island”. O videoclipe de Carmen termina com a composição Gymnopédie No. 1, do compositor Erik Satie. 

Hotel California — Hotel California, da banda Eagles. O interlúdio Burnt Norton do Honeymoon é extraído do livro Quatro Quartetos de T. S. Eliot.

Monólogo francês de Carmen — A ponte em Carmen evoca o estilo de composição de Vladimir Nabokov, que iria ocasionalmente mergulhar entre passagens francesas entre a prosa em andamento de Lolita.

Tradução por Cássio Bauer e Clara Gurgel — Equipe Lana Del Lovers.
Artigo original por Taylor Ghrist à i-D.