Lana Del Lovers
Lana Del Rey por Neil Krug (2017).

Lana Del Rey fala sobre colaboração com Miles Kane, ‘BRIT Awards’ e novo álbum em entrevista à ‘BBC Radio 2’

Em entrevista concedida à radialista Jo Whiley da BBC Radio 2 nesta última quinta-feira (24), Lana Del Rey falou sobre uma possível colaboração com Miles Kane, da banda The Last Shadow Puppets, BRIT Awards e também sobre o que podemos esperar de seu próximo álbum, ainda sem título e data de lançamento divulgados. Leia abaixo a tradução da entrevista:

Oi! Como você está?

Estou bem. Faz muito tempo que não nos falamos.

Sim, realmente. É muito bom ter você de volta. A canção [Love] é linda, o videoclipe é esplêndido. Diga-nos, onde você está agora e o que está vendo?

Estou ensaiando em Los Angeles, Califórnia, e posso ver, através das cortinas, que está chovendo de novo. Está tudo bem por aqui.

Diga-me por que você está ensaiando? O que vocês estão fazendo aí?

Estou trabalhando em algo diferente para o meu álbum, apenas por diversão. Gosto de vir aqui e apenas deixar rolar.

Interessante… Com que você está se divertindo? Há um outro artista ou você está sozinha?

Com outro artista, sim.

E quem é esse artista?

Na verdade, ele está em outra sala.

Oh, é um homem?

Miles! Miles! Venha cumprimentar a Jo!

Quem é ele? Miles…

Kane! 

Oh, meu Deus, Miles Kane! Que engraçado. Mande um “oi” para ele.

Miles: Olá, Jo Whiley.

Olá, Miles Kane. Como você está? Eu não esperava falar com você. O que vocês estão fazendo juntos?

Miles: Apenas tomando um café.

Oh, sim…

Estamos escrevendo novas canções, tudo está indo bem.

É para o The Last Shadow Puppets?

Não, é para algo que estamos fazendo, meio que uma surpresa. Estamos apenas nos divertindo.

Diga-me, as calças dele estão impossivelmente apertadas? A última vez que o vi, elas eram bastante justas.

Sim, estão bastante justas.

Certo, vamos deixar essa conversa de lado. Falamos sobre o BRIT Awards no programa de hoje, e lembrei da última vez que vi você na premiação. Em 2013, você venceu na categoria “Melhor Artista Feminina Internacional”. Já em 2012, você venceu na categoria “Artista Revelação Internacional”. Eu só quero que as pessoas saibam como que é ir ao BRIT Awards. Conte-nos sobre como você se prepara para entrar no tapete vermelho, se vestir de uma forma adequada. Então, como você se prepara?

Sempre escolho o vestido com antecedência. Em 2013, lembro-me de não saber se eu vestiaria algo extravagante ou não. Acabei decidindo por algo mais simples, mas depois me arrependi. Eu não sei… Há sempre alguém para ajudar com o cabelo e com a maquiagem, e espero que os meus amigos estejam presentes na premiação. Lembro-me de ficar nervosa.

Por quê você ficou nervosa?

Não conseguia acreditar que havia sido indicada.

Você estava bastante sobrecarregada, pelo que me lembro.

Sim. Dois anos antes da nomeação, quando eu morava em Londres, Inglaterra, todo mundo só falava sobre o BRIT Awards. Não podia acreditar que eu havia sido indicada.

Você disse estar arrependida sobre a escolha do vestido. Você tinha que escolher entre vários ou apenas dois?

Acho que o problema foi ter escolhido o vestido na manhã do dia da premiação. Eu deveria ter passado mais tempo pensando sobre o que vestir.

E como era o vestido? Você se lembra?

Acho que era um simples vestido preto com botões.

Um curto vestido preto, certo?

Isso.

Você levou uma bolsa de mão? Quando você vai ao BRIT Awards, quais são os itens essenciais que devem estar na sua bolsa de mão?

Batom, espelho, cartões, celular… Provavelmente, em seguida, entreguei minha bolsa ao meu empresário Ben [Mawson] para que eu pudesse desfilar pelo tapete vermelho.

O que passa pela sua cabeça quando você está encarando as câmeras no tapete vermelho? Você não tem vontade de ir para casa com todos aqueles flashes lhe cegando?

Quando estou em Londres e participo de grandes eventos, fico mais animada do que se estivesse em outros eventos de outros lugares, pois sinto que tenho uma história com a cidade. Já nos grandes eventos dos EUA, parece ser tudo novidade para mim.

No tapete vermelho, você não pensa em “Por quanto tempo vou ter que ficar aqui ainda?”, “Será que meu vestido ficou preso?” ou coisas do tipo?

Não, não. Você só tem que tomar cuidado ao respirar para não fazer uma cara estúpida, pois rapidamente essas fotos espalham-se pela internet.

Você deu a seguinte declaração e gostaria que você me falasse sobre ela: “Eu fiz meus quatro primeiros álbuns para mim, mas este é para meus fãs e sobre onde espero que todos nós estejamos indo.” O que você quis dizer com isso?

Deixei meus fãs esperando pelos últimos quinze meses… Então, comecei a pensar que o disco inteiro ia ter um sentimento dos anos 50 e 60, tipo The Shangri-Las [grupo feminino formado na década de 1960 por dois pares de irmãs: Mary e Betty Weiss, e Marge e Mary Ann Ganser] e as primeiras obras de Joan Baez. Mas como o clima continuava a ficar aquecido politicamente, eu achei liricamente que tudo estava direcionado para isso. Então, o som ficou realmente mais atualizado, e eu senti que era algo que dialogaria com o lado mais jovem do público que tenho. Acho que é um pouco mais socialmente consciente. É um sentimento global.

Talvez, quando você voltar para ao Reino Unido, você possa cantá-lo para a gente.

É claro, eu amaria!

Eu ficaria muito feliz em te ver novamente. Obrigada, Lana!

Obrigada. Obrigada por ter escolhido minha canção como a melhor da semana.

É um prazer. Fique de olho em Miles por mim.

Ok.

Ouça a entrevista no player abaixo:

Tradução por Jeferson Santiago e Thiago Goedert. – Equipe Lana Del Lovers.
Entrevista original por BBC Radio 2.