Lana Del Lovers
Lana Del Rey - Interview (2012)

Spin Or Bin Music | Lana Del Rey revela intimamente em entrevista: ‘A música não é minha primeira paixão.’

No luxuoso Four Seasons Hotel, em Cingapura, Lana Del Rey, vestida com um vestido amarelo simples e tênis Vans vermelho, me acolheu de braços abertos quando entrei no quarto. A cantora/compositora de 26 anos balançou as minhas mãos com um sorriso doce. “Ei, como você está de novo?“, ela perguntou. Ela se lembrava de mim pois a conheci quando ela fez um show em Sydney, há três meses. “Você esteve ocupado? Espero que você tenha passado bem.” Del Rey sorria enquanto se sentou no sofá vago. Eu realmente admiro como ela tem “os pés na terra”, apesar de ser tão bem sucedida. Ela me fez sentir calmo e à vontade, como um amigo de longa data dela, durante toda a entrevista, onde ela revelou que a música não é a sua primeira paixão e que as perguntas feitas foram “interessantes”! (Graças aos nossos seguidores no Twitter). Confira a entrevista completa abaixo:

Como você conseguiu o nome de Lana Del Rey?

LDR: Quando eu era mais nova eu senti que não era a pessoa que eu deveria tornar-me ainda. Eu tive uma visão para mim que era tão bonita quanto eu queria que a música fosse. Eu geralmente não nego os meus impulsos criativos de modo que foi apenas um desses impulsos que eu tinha.

O que podemos esperar depois do lançamento de Born To Die: The Paradise Edition? Você ainda vai lançar um novo álbum?

LDR: A única coisa que eu tenho realmente trabalhado é estar ajudando dois diretores marcar dois filmes diferentes. Não é muito profundo, apenas escrevendo músicas para dois filmes diferentes. Na verdade, eu tenho que chamar a Universal para perguntar se eu deveria revelar os filmes. Um dos filmes está saindo em junho do próximo ano. O que eu realmente gosto de fazer é começar a escrever música para filmes, é um lugar muito natural para mim. A maioria das pessoas com quem trabalho já são compositores, por isso é um bom ajuste. Essa é realmente a única ambição que eu tenho.

Você posou nua na revista britânica GQ recentemente, o que fez você fazer isso?

LDR: Eu apenas gosto de como mulheres nuas são belas. Eu adoro ver a pele das meninas em imagens. Eu tenho todas as revistas Playboy dos anos 60 e 70. Eu amo o olhar de meninas com lábios vermelhos e pele brilhante. Eu sou uma grande fã da forma feminina. Então, para mim, não era desconfortável.

Por que você decidiu que o seu mais recente vídeo da música Ride seria tão longo (com 10 minutos completos)?

LDR: Eu realmente amo filmes tanto quanto eu amo música. Quando eu fiz meu primeiro disco, senti que deveria contar minhas histórias por meio de palavras e agora eu quero envolvê-las, contando minhas histórias através de imagens também.

Como foram os seus anos de adolescência?

LDR: Eles eram interessantes. Parei de beber há 10 anos apenas porque eu me senti como uma pessoa que gosta de experimentar coisas novas e sentir-se diferente. Você faz coisas tão rápido, você acaba tendo tantos estilos de vida diferentes, todos em um curto espaço de tempo. Fora isso, eu sempre me senti como se eu tivesse estado ao redor há um longo tempo. Minha mãe disse que quando eu tinha sete anos, eu costumava pensar que eu era um adulto. Quando estava em festas, eu conversava com as pessoas como se elas fossem meus amigos.

Você esperava que Born To Die teria tanto sucesso?

LDR: Quando eu fiz esse disco, eu trouxe-o para um monte de gravadoras diferentes e eles não estavam interessados ​porque diziam ser ‘estranho’. Não era música de festa, a minha música era com menos batida. Pessoas que se envolveram nisto se envolveram nele como um projeto de paixão. Meu fotógrafo era minha irmã e meu irmão estava me ajudando. Eu estava fazendo minhas próprias fotografias de vídeo a partir de coisas que tirei do YouTube. Eu tenho feito isso por um longo tempo, então eu senti que se aquilo fosse funcionar, teria funcionado já há bastante tempo atrás. Então, não, eu não esperava o sucesso todo.

Como você se sentiu quando percebeu que havia ganho a atenção das pessoas?

LDR: Eu acho que a atenção veio com uma rotação negativa. Nunca senti como se fosse algo que eu pudesse sentar e desfrutar. Eu me senti mais como “tenho que guardar as músicas e protegê-las para ter certeza de que seu futuro estaria protegido.” Eu realmente acreditava no disco, na música e nos produtores que trabalharam nele. Eu senti que eu não tinha nenhuma ideia do que iria acontecer depois.

Como você encontrou esse som luxuoso?

LDR: Eu encontrei este jovem rapaz chamado Justin Parker e ele sempre me trouxe diferentes acordes que ele realmente gostava. Originalmente, quando eu comecei, estava apenas gravando canções no meu quarto e enviando-as para as pessoas colocarem a melodia. Mas, então, eu encontrei Justin, ele começou a me trazer acordes para Video Games e comecei com um estilo livre. Eventualmente, comecei a estilizar todas as minhas canções como Video Games, Born To Die e Ride, foram todas feitas no local em uma única tomada. Mas outras músicas como Summertime Sadness e Blue Jeans, trabalhei lentamente com diferentes compositores.

Como foi trabalhar com o A$AP Rocky no vídeo de National Anthem?

LDR: Eu o amo! Quando eu lhe disse que o queria para jogar JFK no vídeo, ele estava totalmente para baixo com isso. A$AP Rocky e Azealia Banks são as únicas pessoas que me relaciono “destes dias.”

Qual foi o item mais peculiar que você já recebeu de um fã?

LDR: Um colar de crucifixo que é também um apito-ajuda. Usei-o para um dos meus vídeos, embora fosse estranho.

Você tem algum nome especial para seus fãs?

LDR: Não, porque todas as outras meninas têm esses bons nomes para seus fãs. Eu não tenho nenhum nome para eles, mas eles sabem que estão no comando. (risos)

Como você lida com a fama?

LDR: Eu realmente espero que eu ainda me sinta inspirada a escrever, da maneira que fazia há alguns anos atrás. Quando eu encontrei a escrita, era algo realmente novo. Me senti como se estivesse fazendo algo que ninguém nunca fez antes. Na Califórnia, eu faço muitos passeios e dirijo sozinha. Ninguém nunca me disse nada e eu tenho o meu irmão e irmã lá comigo. Quando eu deixo a América, fica um pouco mais louco. Para ser honesta, quando estou falando com as pessoas e com perguntas interessantes como as desta entrevista, é muito bom. E depois o resto, eu não tenho certeza sobre…

Alguns de seus vídeos são controversos, qual é a sua opinião sobre a controvérsia?

LDR: Essa é uma pergunta muito boa! Eu acho que queria respeito mais do que eu queria qualquer outra coisa. Eu me considerava uma escritora porque escrever é a minha paixão. Esperava que eu teria o respeito de jornalistas. Eu não acolho a controvérsia, tanto quanto acolho colaborações criativas com pessoas incríveis. Quando escrevi o disco, mais parecia que eu estava tentando capturar um momento no tempo. Mas com Ride foi um pouco diferente, que parece realmente muito estranho para as pessoas. O resto eu não acho que seja tão controverso.

Quem é Lana Del Rey além da música e toda a atenção do público? Quem é você realmente?

LDR: Embora eu ame a música, não é a minha primeira paixão. Quando eu decidi parar de beber há 10 anos, a minha paixão era trabalhar com desabrigados fora do alcance, drogas e reabilitação de álcool. Morei em Nova York por 10 anos, então esse é o meu trabalho de verdade. Eu diria que a música realmente não é minha verdadeira vocação.

Quais são os seus três filmes favoritos de todos os tempos?

LDR: Don’t Look Back por D.A. Pennebaker, que abrange a turnê de 1965 de Bob Dylan no Reino Unido. É muito louco! Eu amo American Beauty e The Godfather parte um e dois.

Você escreveu uma canção chamada Ghetto Baby para Cheryl Cole, como foi que isso aconteceu?

LDR: Temos o mesmo chefe na Polydor e eles pensaram que Cheryl gostaria da canção então mostraram a ela. Ela adorou e decidiu gravá-la.

Muitas pessoas tentaram definir a sua música, do que você a chamaria?

LDR: Eu diria que é como um filme, realmente visual e reflexiva.

 

Tradução por Gabriela Mendes. – Equipe Lana Del Lovers
Entrevista original por Spin Or Bin Music.