Lana Del Lovers
Neil Krug

Neil Krug fala sobre Lana Del Rey em entrevista ao ‘Emmazed’

Em entrevista ao site EmmazedNeil Krug, diretor e fotógrafo, falou um pouco sobre seus trabalhos com Lana Del Rey e a sua relação com a cantora. Leia a tradução dos trechos da entrevista abaixo:

Mas como você defende um assunto como Lana Del Rey de ser vulnerável com o seu trabalho por causa de sua imagem notável?

Eu sei o que você quer dizer. Ela tem sido uma fã dos livros de Pulp Art e não achou que eu estivesse vivo — é uma longa história. Seja qual for a energia que ela viu nos livros de Pulp, era o que ela queria, ou pelo menos foi essa a impressão que tive durante o Ultraviolence. Tentei colocá-la à vontade. Na verdade, eu nem sequer tentei. Eu só fiz porque quando nos conhecemos, nós apenas mergulhamos de cabeça em nossas ideias e não olhamos para trás.

Por alguma razão, eu não consigo descrever o que faz com que isso (vulnerabilidade) surja, mas eu acho que tem a ver com a sua energia. A energia que você traz naquele dia. É bom não ser falso. Com ela, nós estamos sempre tentando fazer o nosso melhor com a narrativa de imagens — conseguindo a atmosfera na maneira certa é tudo o que importa.

Eu sou interessado na história, ou algum tipo de fio narrativo que se estende (pausa) se não, eu fico entediado para caramba. Eu quero colocar algo subliminar no trabalho para desvendar uma narrativa completamente solta para que eu não saiba quando estiver fazendo isso.

Eu acho que há algumas pessoas com as quais você encaixa e algumas pessoas que não, você sabe. Às vezes você tem sorte e às vezes você pensa: “Ah, isso é uma vergonha. Eu gostaria que tivesse funcionado melhor.” Estar com ela [Lana] é como sair com minha irmã: é super relaxado e não há pressão.

Quanto à sua participação na narrativa, quais são os elementos essenciais que você tenta injetar em uma história?

Para mim, é tudo sobre o clima e a sequência. Dito isto, às vezes, as coisas podem ser apenas uma experiência visceral. No contexto do que estamos falando com Lana, a promoção do álbum deve ter uma narrativa porque suas músicas são uma narrativa de tudo o que está acontecendo em sua vida.

Para mim, a menos que eu esteja fazendo algo com computação gráfica e pinturas foscas, algo alegórico e em sua cara — vamos deixar que o público nos diga, também. Vamos dar algo a ele, mas sem dizer tudo. Deixe ele ter sua própria interpretação, e isso faz com que queiram mais, em vez de dizer: “Aqui está. O que vocês acham acham?” (Risos) Eu sou um pouco mais exigente do que isso. Vamos deixar ganhar alguma energia — deixar algumas migalhas de pão — mas não dar tudo de uma vez. Se você está assistindo a um bom filme, há sementes boas que o diretor planta que conduzem você, por isso, quando voltar você será capaz de perceber [a intenção].

Tradução por Carolina Araújo. – Equipe Lana Del Lovers
Entrevista original por Emmazed.