Lana Del Lovers
Lana Del Rey - Rolling Stone (2014)

Rolling Stone: 18 coisas que você aprende depois de dois longos dias com Lana Del Rey

Lana Del Rey é capa da edição de agosto da revista Rolling Stone, para a qual a cantora concedeu uma incrível entrevista. Mas nesta semana, eles liberaram 18 “perguntas” extras, onde Lana falou sobre Lady Gaga e a polêmica faixa So Legit, Dan Auerbach, relacionamentos, sonhos, novo álbum e muito mais. Leia abaixo a tradução da matéria:

18 coisas que você aprende depois
de dois longos dias com Lana Del Rey

Há apenas uma pessoa, ao que parece, que não acha Lana Del Rey um mistério confuso. “Eu sei tudo sobre mim”, diz Del Rey em sua primeira entrevista de capa para a revista Rolling Stone, nas bancas agora. “Eu sei porque eu faço o que eu faço.” Em muitas horas de entrevista para a revista, conduzidas enquanto liberava seu álbum muito bem recebido Ultraviolence, ela estava falando mais aberta do que nunca sobre a sua vida e música – pelo menos até o momento em que o seu humor mudou e ela tentou cancelar a coisa toda. Abatidos a partir dessas discussões, aqui estão algumas pistas espalhadas do quebra-cabeça mais desconcertante do pop.

Del Rey acaba de completar 29 anos – não 28, como é geralmente relatado –, mas ela nega responsabilidades por ter “crescido” um ano. 

“As pessoas têm dito diferentes idades”, ela diz com uma impressionante imprecisão.

As direções que ela deu ao produtor do álbum Ultraviolence, Dan Auerbach, eram muito abstratas:

“Gostaria de explicar as coisas para ele em termos de cores e palavras Touchstone”, ela diz. “Minha palavra para a gravação foi ‘fogo’, você sabe, fogo azul, quando a chama fica tão quente que vai do vermelho ao azul. E eu o disse que queria que tudo soasse como se estivesse no tom de azul. E eu acho que no começo ele pensava: ‘Que porra é essa?'”

Ela vive de intensos relacionamentos românticos.

“Foi lindo”, ela diz. “Mas foi confuso, porque quando isso é sua prerrogativa, as coisas não terminam de uma forma tradicional. Você não tem esse relacionamento tradicional, onde talvez você sai com casais à noite ou faz coisas normais. É mais uma extensão do processo criativo. Há eventos de alto impacto que acontecem, ou grandes aventuras, ou grandes fallouts. Por isso é inspirador, mas não tem fundamento, mas é o que eu preciso para continuar.”

Ela gosta de caras mais velhos. 

“Eu meio que tenho uma afinidade realmente boa, forte, com pessoas autoconfiantes”, ela diz. “Eu diria que nunca os conheci tanto como as pessoas em seus 20 anos. Então, para mim, não tenho nada em comum com alguém que está na casa dos 20 – ainda. Que eu saiba, até agora. Estou procurando por um igual.”

Ela nunca conheceu Lady Gaga, embora fizessem parte da mesma cena musical na cidade de Nova Iorque.

“Seu empresário, Bob Leone, foi um confidente meu, e ele me deu uma bolsa de estudos de dois meses para uma aula de composição e me colocou em uma lista de apresentações segunda à noite no Cutting Room. Tocamos juntas em alguns shows, mas nunca nos encontramos.”

Sobre a canção So Legit, que mais parece um ataque direto à Gaga (“Stefani, you suck”)? “Isso foi um mal-entendido”, ela diz. Ou talvez não era para ser ouvido por alguém? Ela apenas ri.

Ao contrário da crença popular, às vezes ela está feliz.

“Quero dizer, eu estou feliz quando as coisas não estão ruins”, ela diz. “Fico feliz quando as coisas estão calmas. Eu adoro ir para o oceano. Eu amo dirigir. Eu adoro ir a shows. Apenas estar com as pessoas que realmente me fazem divertir. Eu amo o verão. Eu fico feliz no verão. Amo o calor, o clima quente. Fico feliz quando estou gravando algo, na maioria das vezes.”

Sua canção favorita do Bruce Springsteen é I’m on Fire.

O que faz sentido.

Ela gostaria de se casar e ter filhos um dia.

“Eu espero que sim. Espero que isso esteja no meu futuro. Se eu não estragar tudo. Eu não sei.”

Ela tinha medo do palco desde o início.

“É por isso que eu realmente gosto da Cat Power, porque eu sentia que eu realmente a entendia”, ela diz. “Ela é uma pessoa que realmente significou muito para mim, apenas sabendo que está tudo bem você começar sua performance com as costas virada para o público, se você realmente não consegue enfrentar de primeira. Quero dizer, uma grande parte do tempo eu realmente me sentia como: ‘Eu não tenho muita certeza se eu posso fazer isso.’ Mas eu quero dizer, eu venho melhorando.”

Ela tem um plano meio George Costanza para o futuro. 

“Sou muito específica quando estou fazendo alguma coisa ou escrevendo alguma coisa”, ela diz. “Mas é sempre meio que traduzido de maneira oposta. Eu não fiz isso ainda, mas eu aprendi que tudo o que eu vou fazer vai ter uma reação oposta do que eu queria dizer. Então devo fazer o oposto, se eu quiser uma boa reação.” Ela é surpreendida ao saber que George tentou essa abordagem em um episódio de Seinfeld. “Ah, é mesmo? Isso é incrível. Eu e George Costanza! Oh meu Deus!”

Ela já viu várias apresentações do Guns N ‘Roses em vários países – por isso ela já foi vista saindo com Axl Rose em Los Angeles.

“Eu amo Guns N’ Roses”, ela diz. “Axl é perfeito. Ele é exatamente o que eu pensei que ele fosse. Ele é uma inspiração. Ele sobe ao palco para três horas e meia todas as noites, você sabe? Ele não se cansa. É incrível. Courtney Love é assim também. Eu a vi no Troubadour há alguns meses. Ela está incrível.”

Ela ainda está perplexa com algumas reações sobre a sua canção de estreia, Video Games.

“Eu não entendo como surgiu os comentários de cunho antifeminista, porque tudo o que eu estava dizendo era: ‘Eu fico tão feliz quando você chega em casa, e o céu é um lugar na terra com você. Eu nunca estive mais feliz.’ Eu não entendia nenhuma razão para que isso soasse submisso, para mim. Na verdade, eu realmente pensei que em uma idade tão jovem, eu fui abençoada por encontrar alguém que me fez tão feliz. E eu não entendia por que o amor verdadeiro não deve ser o fim de tudo, ser-tudo. Tenho todo o resto, você sabe? Mas, obviamente, em outras canções, ele toma um rumo diferente. E é apenas as diferentes experiências, na verdade.”

Ela teve alguns sonhos estranhos ultimamente.

“Sonhos modernos, sonhando com tempos modernos. Realmente estranho. Eu tive um sonho onde eu esperava por alguém me encontrar, e no céu, onde era para as estrelas estarem, havia um mapa. E eu via essa pessoa ficando cada vez mais e mais longe de mim, onde as constelações deveriam estar. E então eu acordei completamente confusa.”

Somente uma linha em suas letras obteve uma grande reação de seus pais.

Talvez não surpreendentemente, é quando ela canta “My pussy tastes like Pepsi-Cola”. “Meu pai pensou que ‘Cola’ era engraçado”, ela diz. “Já minha mãe não achou nada engraçado.” O trecho veio de algo que seu ex-namorado escocês disse: “Ele estava falando sobre as garotas americanas, e em sua visão ele achava que todas as garotas americanas tem a vagina com o sabor de Pepsi-Cola, e isso era como um sonho. Foi a merda mais engraçada que já ouvi. Então pensei: ‘Bem…'”

Ela teve um longo relacionamento com um executivo de uma gravadora, mas ele nunca assinou com ela.

Eles se encontraram em seus vinte e poucos anos, enquanto ela assinava um contrato para seu primeiro álbum com a gravadora. “Ele não era casado”, ela explica. “Era um relacionamento amoroso. Mas, eu quero dizer, eu o via de vez em quando durante sete anos, e eu ainda continuo próxima a ele. Ele é alguém que realmente influenciou minha maneira de ver as coisas, apenas em termos de não ser capaz de ter o que eu queria. E só de estar perto de uma vida que eu realmente imaginava e amava. Não era uma coisa relacionada à carreira, era um estilo de vida. Eu era apaixonada por ele e pelo o que ele tinha feito, era como estar perto de uma coisa que se ama muito, mas não poder tê-la. O que eu sentia era apenas simbólico, com a forma como as coisas tinham sido por tantos anos, estar ao lado de algo que era tão bonito, mas nunca tê-lo.”

Ela é amiga de Juliette Lewis, que no passado havia humilhado publicamente a sua apresentação no SNL.

“Nós éramos amigas antes disso, mas ela não sabia que era eu na TV”, ela diz. “Eu era mais loira antes ou algo assim. Ela me ligou e disse: ‘Oh, me desculpe.’ Mas superamos isso. Porque a verdade é, nós somos pássaros com penas de diferentes estilos. No final, nós acabamos achando tudo muito engraçado.”

Ela gosta bastante do cantor/compositor Father John Misty.

“Além de Cat Power, ele é uma das minhas maiores inspirações modernas. Eu apenas o amo muito.”

Ela gosta da ideia de Kanye West tocar em seu casamento um dia, em troca por ter cantado no dele.

“Isso seria incrível”, ela diz. “Eu deveria ter colocado isso em um contrato.”

 

Tradução por Gabriela Mendes, Igor Fortunato e Thiago Goedert. – Equipe Lana Del Lovers
Entrevista original por Rolling Stone.

  • Delmiro Pereira Sampaio

    linda demais?

  • Delmiro Pereira Sampaio

    I love you?

  • Travis del rey

    demais